Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Fauna Brasileira > Lista de Espécies Ameaçadas > Aves - Myrmotherula urosticta (Sclater, 1857) - Choquinha-de-rabo-cintado
Início do conteúdo da página

Aves - Myrmotherula urosticta (Sclater, 1857) - Choquinha-de-rabo-cintado

Classificação Taxonômica
Grupo
Classe:
Ordem:
Família:
Espécie:
Nome Vulgar:
Aves
Aves
Passeriformes
Thamnophilidae
Myrmotherula urosticta (Sclater, 1857)
Choquinha-de-rabo-cintado
Categoria de Ameaça
Categoria Validada:
Critério Validado:
Presença Lista Anterior:
VU
C1
IN MMA 003/2003
Justificativa
Myrmotherula urosticta é endêmica da costa do Brasil, ocorrendo da Bahia ao Rio de Janeiro. Estima-se que a população global seja inferior a 10.000 indivíduos maduros. Considerando que a espécie está restrita a poucas localidades no Rio de Janeiro e Espírito Santo, tendo se extinguido recentemente em muitas áreas, pode-se estimar que houve declínio populacional continuado superior a 10% devido à perda de área de ocupação nos últimos 15 anos (três gerações). No sul da Bahia, onde a espécie ainda ocorre, estima-se que a perda de habitat ocorrerá em grande escala no futuro, devido a grandes empreendimentos na região. Dessa forma, M. urosticta foi avaliada como Vulnerável (VU) C1.
Especialistas
Ciro Ginez Albano, Fernando Costa Straube, Glayson Ariel Bencke, Luciano Moreira Lima, Luís Fábio Silveira, Márcio Amorim Efe, Rafael Alves dos Santos e Santos, Rafael Antunes Dias, Santos D’Angelo Neto, Vítor de Queiroz Piacentini
Referências
1) Espírito Santo. 2005. Decreto Estadual nº 1.499-R de 13 de junho de 2005. Declara as espécies da fauna e flora silvestres ameaçadas de extinção no estado do Espírito Santo e dá outras providências. Diário Oficial do Estado do Espírito Santo de 16 de junho de 2005: 3-15.
2) Grantsau, R.K.H. 2010. Guia completo para a identificação das aves do Brasil. Parte II. Vento Verde. 656p.
3) Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). 1997. Plano de Manejo da Reserva Biológica Augusto Ruschi. Brasília. 280p.
4) IBDF (Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal). 1981. Plano de Manejo do Parque Nacional da Tijuca. Anexo XVII. Brasília. 10p.
5) ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). 2008. Plano de Manejo da Reserva Biológica União. Brasília. 708p.
7) IUCN (International Union for Conservation of Nature and Natural Resources). 2012. IUCN Red List of Threatened Species. Versão 2012.1. www.iucnredlist.org (Acesso em 22/2/2013).
8) Schnell, J.K.; Harris, G.M.; Pimm, S.L. & Russell, G.J. 2013. Quantitative analysis of forest fragmentation in the Atlantic Forest reveals more threatened bird species than the current Red List. PLoS ONE, 8(5): e65357. doi:10.1371/journal.pone.0065357.
9) Silveira, L.F. 2008. Myrmotherula urosticta (Sclater, 1857), p. 611-612. In: Machado, A. B. M.; Drummond, G. M. & Paglia, A.P. Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Ministério do Meio Ambiente e Fundação Biodiversitas. v.2, 460p.
10) Silveira, L.F.; Develey, P.F.; Pacheco, J.F. & Whitney, B.M. 2005. The birds of the Serra das Lontras-Javi mountain complex, Bahia, Brazil. Cotinga, 24: 45-54.
11) Zimmer, K.J. & Isler, M.L. 2003. Family Thamnophilidae, p.448-681. In: del Hoyo, J.; Elliott, A. & Christie, D. Handbook of the birds of the world, Vol 8: Broadbills to Tapaculos. Lynx Edicions. 845p.
Fim do conteúdo da página