Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Fauna Brasileira > Lista de Espécies Ameaçadas > Aves - Neomorphus geoffroyi dulcis Snethlage, 1927 - Jacu-estalo
Início do conteúdo da página

Aves - Neomorphus geoffroyi dulcis Snethlage, 1927 - Jacu-estalo

Classificação Taxonômica
Grupo
Classe:
Ordem:
Família:
Espécie:
Nome Vulgar:
Aves
Aves
Cuculiformes
Cuculidae
Neomorphus geoffroyi dulcis Snethlage, 1927
Jacu-estalo
Categoria de Ameaça
Categoria Validada:
Critério Validado:
Presença Lista Anterior:
CR
C2a(i)
IN MMA 003/2003
Justificativa
Neomorphus geoffroyi dulcis ocorre no sudeste do Brasil, estando atualmente restrito a três unidades de conservação do ES. Suspeita-se que existam bem menos de 250 indivíduos maduros desta subespécie, sendo que cada subpopulação contém menos de 50 indivíduos maduros. Há declínio populacional continuado devido à perda de habitat e fragmentação da população, de modo que N. g. dulcis foi categorizada como Criticamente em Perigo (CR) C2a(i).
Especialistas
Adrian Eisen Rupp, Alexander Charles Lees, André Cordeiro de Luca, Caio Graco Machado Santos, Ciro Ginez Albano, Luciano Moreira Lima, Luís Fábio Silveira, Márcio Amorim Efe, Mário Cohn Haft, Santos D’Angelo Neto, Sidnei de Melo Dantas, Thiago Orsi Laranjeiras, Vítor de Queiroz Piacentini, Weber Andrade de Girão e Silva
Referências
1) Espírito Santo. 2005. Decreto Estadual nº 1.499-R de 13 de junho de 2005. Declara as espécies da fauna e flora silvestres ameaçadas de extinção no estado do Espírito Santo e dá outras providências. Diário Oficial do Estado do Espírito Santo de 16 de junho de 2005: 3-15.
2) Payne, R.B. 1997. Family Cuculidae, p.508-607. In: del Hoyo, J.; Elliott, A. & Sargatal, J. Handbook of the birds of the world, Vol 4: Sandgrouse to Cuckoos. Lynx Edicions. 679p.
3) Sick, H. 1997. Ornitologia brasileira. 3ª. Ed. Nova Fronteira. 912p.
4) Silveira, L.F. 2008. Neomorphus geoffroyi dulcis (Snethlage, 1927). p. 486-487. In: Machado, A.B.M.; Drummond, G.M.; Paglia, A.P. (orgs.). Livro Vermelho da Fauna Ameaçada de Extinção no Brasil. Ministério do Meio Ambiente e Fundação Biodiversitas. v.2, 460p.
Fim do conteúdo da página